Transportar pet é um assunto comum entre os motoristas de aplicativo. Levar ou não levar? Usar caixinha? Como lidar com os pelos deixados? E se o animal se estressar durante a viagem? Esse é um tema que envolve muitas questões, inclusive legais, além de pedir cuidados especiais.

Pensando nisso, conversamos com dois embaixadores Zarp, Ataul Roberto e Regiane Valença, pra entender o que eles acham do assunto e, é claro, pegar dicas que podem fazer toda a diferença em viagens com animais de estimação. Continue com a gente e boa leitura!

O que a lei diz sobre o transporte de animais no carro?

Que eles são uma fofura, isso ninguém pode negar. Mas, se você não quiser pagar multas e perder pontos na carteira, é importante ficar de olho no que a legislação diz sobre o transporte de animais de estimação.

Segundo o Artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é considerado uma infração média, com penalidade por multa e perda de pontos na carteira, dirigir o veículo “transportando pessoas, animais ou volumes à sua esquerda, ou entre braços e pernas”.

Ou seja, o motorista não pode, de jeito nenhum, carregar o pet no colo ou deixá-lo entre as pernas enquanto dirige. Caso não tenha um acompanhante dentro do carro, ele deverá deixar o pet no banco traseiro ou na caixa de transporte.

Já de acordo com o Artigo 235, também é proibido deixar cachorro com a cabeça ou qualquer outra parte do corpo para fora do veículo enquanto o carro estiver em movimento. Essa atitude é considerada uma infração grave, com penalidade de multa, perda de pontos na carteira e retenção do veículo.

E não para por aí: o Artigo 169 deixa claro que o transporte de animais nunca deve atrapalhar ou tirar a atenção do motorista. A infração é leve, com penalidade de multa ou a perda de alguns pontos na carteira. Mas é importante lembrar que o ideal é que o pet esteja sempre preso, até mesmo para a segurança dele.

Por fim, temos a Lei Federal Nº 11.126/2005, que garante aos deficientes visuais o direito de entrar com cão-guia em qualquer espaço público e privado de uso coletivo, o que inclui o transporte por carros de aplicativo.

Quais são os principais cuidados para transportar pet?

Conversando com os nossos embaixadores, encontramos as duas respostas para a pergunta “leva ou não leva pet?”.

Ataul conta que já levou várias pessoas com seus bichinhos de estimação. Ele acha importante que as pessoas saibam que um bom passeio é uma ótima atividade para o dono e seu companheiro. Por outro lado, Regiane conta que não gosta muito de fazer corridas com pet e que não aceita as viagens se o animal não estiver no acessório adequado, com exceção dos cães guias.

Agora, saca só as dicas que eles deram e que vão te ajudar a se dar bem em situações como essas.

Sempre use caixa de transporte ou prendedor de cinto

Mesmo que o carinho dos donos seja muito grande, o bichinho de estimação deve andar sempre na sua caixa de transporte ou usar um prendedor de cinto. Isso é importante até para a segurança do animal, já que ele pode se machucar em casos de freadas bruscas. Como mencionado, o transporte de animais nunca deve atrapalhar ou tirar a atenção do motorista. Por isso, o melhor é deixar o pet preso e em posição segura.

Ataul conta que já aconteceu de um pet ser levado no colo da passageira. O cachorrinho começou a latir como se tentasse avançar no motorista, mas, como era de pequeno porte, a dona conseguiu segurar. Um susto e tanto, não é mesmo? Por isso a importância da caixinha, pois o animal fica calmo e não tem risco de ficar na janela latindo.

Previna-se contra os pelos deixados

Roberto acredita que os motoristas em geral não gostariam de recusar as viagens com pets, mas que a questão dos pelos influencia muito. Todos os donos falam que o bichinho não solta pelos, porém, ao verificar o carro no fim das corridas, o mais comum é encontrar pelos voando por todo lado.

Para esse tipo de contratempo, Regiane aconselha que é sempre bom ter, no porta-luvas, uma escova de roupas pequena e um aspirador portátil. Outra ótima dica é ter um lençol guardado no seu porta-malas. Assim, o dono pode cobrir o banco durante a viagem.

Deixe o carro em uma temperatura agradável

A temperatura do ambiente também pode ser motivo para o animalzinho estranhar o passeio. Vale dar uma refrescadinha no carro antes de o amigão entrar. Muitos animais ficam agitados com o passeio e têm um aumento na temperatura corporal. Tá aí um desconforto que nem a gente gosta, né?

E aí, curtiu as dicas? No Blog Zarp, tem conteúdos superlegais pra descomplicar a sua rota. Fique de olho também nas nossas redes sociais pra você ficar por dentro de tudo sobre o universo do motorista de app! Estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *